Columbano Bordalo Pinheiro

21. A relação histórica entre A Brasileira e o Museu de Arte Contemporânea, criado em 1911, surge em vários livros de história da arte portuguesa do século XX. Não apenas pelas tertúlias de artistas que se realizavam n’A Brasileira, mas, sobretudo, porque o pintor Columbano Bordallo Pinheiro, na altura diretor do Museu, sofria de um “desgosto” em relação às criações dos artistas mais jovens e impedia a entrada das obras dos mesmos no Museu, acabando A Brasileira por funcionar como o verdadeiro museu de arte contemporânea desse tempo.