Fado do 31

Na década de 20, as figuras populares de Lisboa eram frequentadoras dos cafés e dizia-se, em tom de brincadeira, que a vida nacional girava à volta de uma chávena. A Brasileira era frequentemente palco de discussões acesas, algumas com cenas de pancadaria envolvendo arremesso de chávenas e cadeiras. Almada Negreiros e José de Bragança protagonizaram uma dessas cenas, na sequência de uma discussão sobre a ordem dos painéis expostos. Maria Victoria imortalizou esse momento no famoso Fado do 31, cantado este fado vestida de chapéu e traje masculino.